Tocantins emprega cerca de 9 mil no setor do Turismo

Shutterstock

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou uma pesquisa com dados sobre a geração de empregos líquidos no Turismo. Segundo a análise, o Tocantins conta com 9.019 pessoas empregadas no setor, sendo que deste total cerca de 70% são funcionários dos ramos de hospedagem e alimentação. Os números são referentes ao mês de março de 2018.

Dentro do Turismo, o ramo de transporte de passageiros é o segundo com maior ocupação, com 1.807 colaboradores entre os meios aéreo, locadoras de veículos e rodoviário (marítimo e ferroviário obtiveram resultados negativos no mês analisado). Outra função que gera emprego é a de agente de viagem, que em fevereiro ocupava 442 profissionais no estado.

Ano passado

Se analisar, porém, as informações catalogadas sobre 2017, percebe-se uma queda de 169 vagas no Tocantins. O estado apresentou a menor retração na região Norte, atrás do Acre (-170) e Pará (- 1.916). Já na avaliação nacional, o país apresentou recuo de 12.690 vagas no mesmo período. Apesar de grande, o número é muito menor que o registrado em 2016, quando 87.242 vagas no setor do turismo foram encerradas.

 “As contratações e demissões no Turismo são influenciadas não apenas pela situação econômica do local, mas pela estrutura, segurança e atrativos. Ano passado, com os primeiros sinais de retomada da economia e desaceleração da inflação, as vendas foram movimentadas e mais empregos precisaram ser criados, contribuindo, assim, com o resultado líquido de vagas no setor”, explica a assessora econômica da Fecomércio Tocantins, Fabiane Cappellesso.

Para o coordenador técnico do Conselho Empresarial de Turismo da Fecomércio Tocantins (Cetur), Antonio Malan, o setor é um dos vetores de desenvolvimento do estado e, por isso, há chances de crescimento, se houver investimentos. “O Turismo é um grande gerador de empregos e, como o Tocantins está em evidência na mídia, aumentaram o fluxo de turistas e, consequentemente, o número da oferta do emprego. Porém, se não foram tomadas medidas para melhorar a infraestrutura dos atrativos e do receptivo, corremos o risco de ver a diminuição tanto das visitações quanto das contratações”, comentou Malan.

(Ascom Fecomércio Tocantins, com informações da CNC)